Oswaldo Ulhoa

ulhoa@sodeonda.jor.br

 

 

 

 

 

 

 


Página Inicial


Poetílica

CANÇASSO
Ressaca das noites
mal dormidas
Noites que se debruçaram
na prancheta,
sedentas de criação e grana
a lembrar o dia seguinte,
Contando moedas
para atravessá-lo;
Ressaca pelas linhas
mal coladas,
Pela luz fraca
e pelo cansaço
Objeto maior
Não deixa parar

27/05/1992